Da minha terra à Terra de Sebastião Salgado e Isabelle Francq

Em ‘Da minha terra à Terra’ compreendemos quem é o homem por trás das emocionantes imagens em preto e branco. São registros de pessoas, animais, e natureza das partes mais remotas do Planeta. O livro nos conta como Sebastião Salgado descobriu a fotografia, suas viagens, e o amor pela sua família e pela natureza.

Quando alguém alcança sucesso em algo acaba se tornando também mitificado como um ser humano diferenciado, e ao ler a biografia de Sebastião Salgado, vi ali sim um homem admirável, com ideias e projetos que visam um bem coletivo além do seu maravilhoso trabalho de fotografia. Todavia, conheci também o homem comum, simples, que teve que enfrentar, por conta de seus ideais políticos, uma difícil imigração na França, necessária devido ao período de ditadura no Brasil, e seus conflitos internos ao tomar a decisão de abrir mão da já engatilhada carreira de economista por algo que não era tão seguro, mas que era sim a sua grande paixão, a fotografia.

Livro 'Da minha terra à Terra'

Da minha terra à Terra

Sua esposa e mãe de seus filhos, Lélia Salgado é também a responsável pela editoração de seus livros, e parceira de todos os seus projetos. Apesar de sua bela união, o livro mostra que nem sempre foi fácil, e que também passaram por muitas dificuldades juntos, como a adaptação em um novo país, o desafio de juntos aprenderem a serem pais de um filho com síndrome de down, e até o início de um pedido de divórcio. Contudo, ainda seguem até hoje lado a lado. Novamente, não existe nada perfeito ou fácil, é preciso muita perseverança para continuar.

No livro estão as suas impressões sobre seus trabalhos (como ‘Outras Américas’, ‘Trabalhadores’, ‘Êxodos’, e ‘Gênesis’) e a necessidade que sente de ir a fundo sobre cada assunto, foram dedicados muitos anos em cada projeto, seu último projeto, o ‘Gênesis’ levou cerca de 8 anos para ser finalizado.

Minha fotografia não é uma militância, não é uma profissão. É minha vida. Adoro fotografia, fotografar, estar com a câmera na mão, olhar pelo visor, brincar com a luz. Adoro conviver com as pessoas, observar as comunidades – e agora também os animais, as árvores, as pedras. Minha fotografia é tudo isso, e não posso dizer que são decisões racionais que me levam a olhar para isto ou aquilo. É algo que vem de dentro de mim. O desejo de fotografar está constantemente me levando a recomeçar. A buscar outros lugares. A procurar outras imagens. A tirar novas fotografias, ainda e sempre.

Ao escrever esse livro, Sebastião Salgado estava com 70 anos (esse ano completa 72), e apesar das limitações físicas que a idade traz, demonstra muito amor, vontade e humildade em aprender e continuar, como fotógrafo e com o Instituto Terra, seu projeto de revitalização das terras herdadas do seu pai.

Desmitificado aqui além de um excepcional fotógrafo um homem de coragem e fortes ideais, um ser humano admirável que nos ensina tanto com as suas imagens, como com a sua história de vida.

 

Avaliação: ♥♥♥♥ (4/5)

Para ver:

Curiosidades:

  • O documentário ‘O sal da terra’ foi dirigido por Wim Wenders ao lado de Juliano Salgado, filho do Sebastião Salgado.

Autor(a): Sebastião Salgado e Isabelle Francq

Editora: Paralela

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s