Persépolis de Marjane Satrapi

Persépolis é a autobiografia de Marjane Satrapi, feita em quadrinhos com traços simples e em preto e branco, característicos da autora, onde narra desde a sua infância até a vida adulta, vivenciando a Revolução Islâmica no seu país, o Irã, e as mudanças impostas pelo regime no modo de viver, as restrições, os bombardeios, e as vidas perdidas. Até que seus pais optam por ficar longe da filha a vê-la sofrer ou ser morta, como muitos outros.

Em uma Graphic Novel que tinha tudo para ser um drama, é contado de forma por vezes engraçada, por vezes tensa ou triste, mas que consegue esclarecer algumas das dúvidas que nós como ocidentais, temos com relação aos conflitos étnicos e religiosos que ocorrem no Oriente Médio.

Com Persépolis fiz o caminho oposto ao habitual, vi primeiro o filme, por indicação do namorado, e gostei tanto, que precisava muito ler/ter o livro que foi lançado primeiramente na França em 4 volumes, e que no Brasil encontramos a versão completa do livro pela editora Companhia das Letras. Essa foi a minha primeira experiência com Graphic Novel (o primeiro de alguns), e eu não podia ter começado de maneira melhor.

Persépolis

Livro Persépolis

Marjane tinha uma família moderna, que lutava contra o regime dos aiatolás. Quando criança viu de perto a resistência das pessoas em sua volta na busca de seus direitos colocando em risco a sua liberdade ou suas próprias vidas. Entre eles estava o seu tio que ao ser preso teve o direito de receber apenas uma visita e entre todas as pessoas que poderia escolher, escolheu vê-la.

Crianças na Revolução Islâmica

As crianças na Revolução Islâmica

Crescer não é fácil, e crescer em um meio em que aos que não se adaptam às rígidas doutrinas do governo estão sujeitos à prisões, linchamentos nas ruas, ou algo pior. Em sentir o temor de chegar em casa depois da escola e ver a sua rua fechada, pois alguma casa do bairro foi atingida por bombas, e sofrer a incerteza de que dessa vez poderia ser a sua, tornaram essa uma fase ainda mais difícil.

Chegada dos aiatolás ao poder

Mudanças com a chegada dos aiatolás ao poder

A adolescência num Estado Islâmico

A adolescência num Estado Islâmico

Até a chegada do o momento em que seus pais decidem mandá-la para fora do país, para não correrem o risco de perdê-la. E Marjane então se muda para a Europa onde poderia estudar e viver sem o medo de ser perseguida, porém onde enfrentaria sozinha um novo mundo muito diferente do seu, e que pela primeira vez longe de sua família, tem de se adaptar a uma nova cultura.

O livro além de contar a história de vida de Marjane Satrapi, narra fatos importantes da história do Irã e da Revolução Islâmica, nos ajudando a compreender um pouco melhor o que é viver em um Estado de doutrina tão rigorosa à todos, principalmente às mulheres. É um livro, que apesar do tema, é de fácil compreensão e muito gostoso de ler. Sem dúvida nenhuma é um dos meus livros favoritos, e de uma das autoras modernas que mais admiro.

Avaliação: ♥♥♥♥♥ (5/5)

Para ler:

Para ver:

Autor(a): Marjane Satrapi

Editora: Companhia das letras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s